SUA FONTE SOBRE O F(X) NO BRASIL

GQ: Como você se sente em dias que você tem uma entrevista?
Krystal: Eu não sinto nada em particular. (Risos) Mas sim, eu acho que tenho um pouco de medo de entrevistas.

GQ: Você está com medo?
Krystal: Eu tenho certeza que você vai ver quando nós começarmos a falar, eu tenho tendência a ser honesta, então eu não me vejo freando. Eu acho que tenho a tendência de revelar muito sobre mim mesmo quando eu começar a falar.

GQ: Você tem vários de segredos?
Krystal: Eu não diria ‘segredos’, apenas coisas que eu prefiro não dizer. Assim como têm coisas que eu prefiro não dizer aos meus fãs, ou apenas coisas que eu prefiro manter em privado. Eu acho que todo mundo tem essas coisas. Eu tenho tendência a permanecer sozinha no meu quarto. Mas eu tenho um trabalho onde eu tenho que estar sempre fora e sempre tem gente olhando para mim. Então, eu gosto de ter algo para guardar para mim. Enchi meu quarto com as coisas que eu amo. Coisas que só eu sei. (risos)

GQ: Eu tenho esse preconceito de que porque você tem esses gostos e preferências distintas, você realmente gosta de compartilhá-los. Mas parece que é algo que você realmente quer manter para si mesma?
Krystal: Eu não quero te dizer. (Risos) É apenas isso, na verdade. (risos)

GQ: Há momentos em que você deseja compartilhar, e vezes que pretende apenas desfrutar para si mesma.
Krystal: Exatamente. Há coisas que me curam, e eu por isso as mantenho escondidas no meu quarto.

GQ: Se você tivesse que descrever o seu quarto, eu sinto que iria fazê-lo parecer mais misterioso.
Krystal: Eu gosto de abrir minhas janelas, muitas vezes, especialmente à noite quando a brisa fria vem. Aquele ar frio fica misturado com o calor da sala, e meu corpo está quente, mas o ar é refrescante. Eu sempre gosto da sensação do ar em não importa a época. Mas há momentos em que eu simplesmente fecho as cortinas e fico no escuro do meu quarto mesmo durante o dia. Eu gosto de chamá-las de cortinas do diabo. (Risos) E eu acendo uma luz muito suave. Então você não pode dizer se é 2 da tarde ou 10 horas da noite. Minha mãe me aborrece muito dizendo que eu estou desperdiçando eletricidade durante o dia. (risos)

GQ: Entre a noite e o dia, você prefere a noite?
Krystal: Sim. Eu gosto do tempo após o período noturno, a aurora. Eu costumo dormir em torno de duas horas, mas há momentos em que eu fico até 4 ou 5. E então eu durmo muito.

GQ: Há momentos em que você se sente realmente corajosa?
Krystal: Quando eu estou na frente das câmeras. Se estou no palco, ou eu estou atuando, ou em uma sessão de fotos, eu sinto a força mais focalizada quando estou na frente das câmeras. É um momento em que eu me liberto mais.

GQ: Será que é porque a câmera não é um ser humano?
Krystal: Você está certo. Você pode vê-la dessa forma. Ela(câmera) cria uma barreira entre mim e as pessoas. Não tem o contato direto, assim eu sou capaz de ter mais confiança.

GQ: Isso é um problema com a geração de telefones inteligentes. As pessoas não estão acostumadas com o contato face-a-face por isso eles não sabem o que fazer ao redor de outra pessoa. Não é que eles sejam rudes, apenas não sabem como dizer olá.
Krystal: Eu não posso fazer coisas assim também. Têm sido 8 anos desde a minha estreia, por isso eu sinto como se estivesse trabalhando em uma empresa? Então, eu estou lentamente aprendendo essas coisas de como agir perto de outras pessoas ou como atuar quando eu me encontro com alguém pela primeira vez. Eu costumava ter várias inibições como uma criança, de modo que as pessoas ao meu redor me diziam, “Ria um pouco.” “Fale. Por que você está tão quieta? ” Isso causou um monte de estresse. Eu só estou ali de pé, por que eles estão me empurrando tanto? Mas quando fiquei mais velha (risos), eu entendi mais. Quando eu era jovem e alguém estava olhando para mim, tudo o que eu pensava era: “Por que eles estão olhando para mim?” E isso continuou quando eu estreei. Eu não podia me acostumar com isso. Eles estavam olhando para mim, porque eles reconheceram quem eu era, mas eu não estava acostumado a isso, então eu sempre me perguntava por que eles continuavam olhando. Eu não acho que eu seja diferente agora, para ser honesta. Eu sou muito tímido ainda, e eu ainda tenho um monte de inibições.

GQ: Você não se acostumar com as pessoas olhando para você mesmo sendo tão bonita?
Krystal: Não, eu estou totalmente não acostumada com isso.

GQ: Você gosta de elogios, de ouvir que você é bonita?
Krystal: Eu gosto. (Risos) Eu nunca vou me cansar de elogios. (risos)

GQ: Você não fica irritada se o elogio não é verdadeiro?
Krystal: Ah, eu acho que eu entendo o que você está dizendo. Há elogios que tenho de verificar por mim mesma. Como se eu realmente fiz um bom trabalho, ou se eu realmente parecia boa. Mas eu gosto de ouvir elogios. Ah, eu não sei. (risos)

GQ: Você tem 23 anos, certo? Que diferenças você sente em relação a sua idade quando você tinha 21, 22, 23?
Krystal: Nada em especial.

GQ: Como foi fazer 20 anos?
Krystal: Eu pensei que eu seria um adolescente toda a minha vida. (Risos) Eu não percebi uma mudança enorme na época, mas depois as pessoas começaram a me dar álcool como se fosse algo normal.

GQ: Você esperava pela chegada desse dia?
Krystal: Não (risos) Eu realmente não posso beber álcool. Meu rosto fica muito vermelho. Eu costumo beber apenas alguns goles de vinho quando estou comendo com a família. Eu não posso ir a festas e beber muito. Mesmo já tendo feito isso antes.

GQ: Eu espero que você não seja do tipo que cai no sono ou se torna realmente imatura quando está bêbada.
Krystal: Não. (Risos) Eu não gosto de ficar bêbada, então eu não bebo. As pessoas dizem que costumo me inclinar sobre as pessoas e que começo a fazer um monte de aegyo. (Risos) Mas eu não gosto disso. Eu acho que é estranho me apoiar e fazer isso com alguém que eu não sei quem é.

GQ: E se você estiver namorando?
Krystal: Então, seria um dar e receber algo assim. Quando estou com meus amigos, eu costumo ser a única que fica, “eu vou comprar.”

GQ: Sim, você parece ser assim. Você tem uma imagem muito independente.
Krystal: Eu gosto de ouvir isso. Se há uma parte de mim que é assim, eu acho que herdei da minha mãe. Quando ela tinha a minha idade, ela estava fazendo tudo de forma independente. E ela ainda hoje faz as coisas muito bem sozinha. Seja pela minha personalidade ou a maneira que eu falo, eu tomo a minha mãe como exemplo. Nós duas gostamos de estar sozinhas. Eu gosto de ter uma imagem de independência. Não é como se eu tivesse tentando ter uma, é só assim que eu sou.

GQ: Krystal, não é inteligente?
Krystal: Eu acho que sou inteligente em alguns aspectos (risos). Como posso dizer isso com a minha própria boca? (Risos) Eu acho que mais do que inteligente, eu sou clara. Isso está meio que relacionado com a minha imagem independente, mas se eu gostar de alguma coisa, eu gosto ou não gosta, eu ou não sei. Eu faço a linha clara.

GQ: Quando você se sente tola?
Krystal: Sempre que vejo alguém que eu encontro alguém precioso ou alguém que eu goste – se é um homem ou um membro da família – tenho a sensação de fraqueza. Algo assim me faz sentir-me como uma tola. Eu simplesmente me deixo levar e tento tirar toda a sua dor, e eu me sinto como uma tolo. Eu sou assim para as pessoas que me interessam.

GQ: O que você acha das pessoas que dizem que você é frio?
Krystal: Eu não sei. Tem que haver uma razão pela qual as pessoas continuam dizendo isso. Eu não sei se eu posso mesmo dizer que estou cansa disso (risos), mas honestamente, eu não fico muito cansada. Mas eu não deveria dizer isso, certo? (Risos) Para ser honesta, eu não me conheço muito bem. Quando você é jovem, você não sabe como você é, se você é frio ou você calorosa. Uma parte de mim se tornou mais tímida só porque eu ouvi muito sobre mim. Eu criei mais paredes, e isso me fez não rir para o conteúdo do meu coração mais.

GQ: Então as performances se tornaram um lugar onde você pode usar uma máscara e se esconder?
Krystal: Sim. Porque quando estou no palco, eu sou jjang. Porque eu tenho que ser. (Risos) Mas as pessoas não apenas dizer que eu sou fria, eles dizem que eu tenho uma personalidade ruim. (risos) Isso realmente me faz sentir mais à vontade em alguns aspectos. Não é que eu concorde que tenho uma personalidade ruim. Eu só acho que se você não é super próximo de mim, você vê apenas uma parte da minha imagem. Há momentos em que eu sou fria, e momentos que eu não sou. Eu me sinto como me sinto. Mas cada pessoa tem o bem e o mal em si, certo? Não há nenhuma razão para eu esconder isso. Eu apenas tento ser eu mesma. Há momentos em que a imagem é difícil, e momentos que eu odeio isso, mas eu vou apenas tento aceitá-lo.

GQ: Você não tem que simplesmente aceitar tudo. Você deve ignorar as coisas se elas precisam ser ignoradas. É importante que você seja capaz de saber quem você realmente é. Os outros vão apenas ver o que eles querem ver.
Krystal: Você está certo. Eu acho que isso é verdade.

GQ: Eu estou tentando vê-la como a imagem “independente” agora. (risos)
Krystal: Apenas me veja do jeito que eu sou. Gostaria disso. Mas é difícil.

GQ: Há também esta parte da sua imagem: uma menina que as meninas gostam.
Krystal: Sim. (risos) Eu sei.

GQ: Porque você acha que os homens não gostam tanto de você?
Krystal: Eu não sinto que seja assim. (risos) Eu gosto de ter um monte de fãs do sexo feminino. Eu acho que é mais difícil para as meninas apoiar outras meninas. Eu me conheço, então eu sei que eu não tenho um rosto muito feminino, bonito. Eu tenho um rosto mais andrógino. Tenho certeza de que há homens que não gostam disso em mim. Mas isso é apenas gosto pessoal, não é algo que eu precise trabalhar para corrigir. Não tenho que me preocupar com essa parte da minha imagem. Honestamente, eu gosto de ser chamada de “bonita”, mas eu também gosto de ser chamada de ‘legal’. De certa forma, eu gosto mais. Eu acho que é mais difícil para as meninas a serem chamadas de ‘legal’. As meninas gostam de ser chamadas de legais.

GQ: É assim que as mulheres respeitadas são, certo? Elas são legais.
Krystal: Sim, isso é certo. (risos)

GQ: Você também é um nome popular entre as comunidades LGBT. Há também essa imagem que você é a ‘unnie’ mais popular entre as meninas do ensino médio.
Krystal: Eu sei. Há muito na internet.(risos) Eu gosto disso. Não é como se eu particularmente tentasse atuar ou apelar de uma certa maneira. Eu sempre sou grata as pessoas que apenas me amam e gostam das diferentes partes de mim. Eu estou ok com tudo isso.(risos)

GQ: De repente eu pensei sobre ‘Ahn Soojung’ de ‘High Kick!’ que usava muito o ‘bbuing bbuing’.
Krystal: Isso é certo. Para esse papel, eu tive uma personagem que foi difícil que gritava para oppas, e usava aegyo sempre que ela precisava de algo. Quando eu ouvi pela primeira vez sobre isso, eu perguntei se eu realmente precisava fazer tudo isso. O produtor me disse que eu precisava pensar em um movimento de mão para o ‘buing buing’ também. Eu tentei diferentes maneiras, e o que viu é o que ficou. (risos) Ele tornou-se popular, então eu não acho que foi tão ruim assim.

GQ: Você já fez isso depois disso?
Krystal: Nunca. Eu nem sequer faço se alguém me pede.

GQ: Há também essa imagem de sabe tudo.
Krystal: Eu? Eu sinto que estou ficando mais esperta quando algo que eu gosto fica mais definido. Apesar de ‘esperto’ ser uma espécie de palavra engraçada. Você não tem que estudar muito para ser inteligente? (risos)

GQ: Isso não é uma escola.
Krystal: Sim, no campo que eu estou, eu acho que você pode julgar alguém baseado em seus gostos e sensibilidades. Mas eu realmente pareço ser uma sabe tudo e inteligente?

GQ: Pode ser que eu apenas espero que você seja. Eu sempre tenho expectativas diferentes dependendo de quem eu estou entrevistando. Eu espero que elas sejam mais frias do que eu acho que elas são.
Krystal: Isso é um elogio? (risos)

GQ: Você é a único que ouviu. Você julgue por si mesma.
Krystal: (risos) O que eu posso dizer sobre isso? Eu nunca pensei, ‘Eu gosto desta coisa, então eu sou diferente. “E eu não saio do meu caminho para parecer diferente. Eu só sigo as coisas que eu gosto. Eu apenas sigo meu coração. Então, eu estou sempre tendo um cuidado extra para quando eu falo sobre coisas que eu gosto. Eu não quero que as pessoas pensem que eu estou me gabando.

GQ: Eu acho que a hesitação é inevitável. Você está em uma posição onde um monte de pessoas estão curiosas e fazem-lhe perguntas e suspeitam de você. Todo mundo tem sua própria opinião individual sobre você. E mal-entendidos são apenas mal-entendidos.
Krystal: Mas às vezes eu me sinto como se o mal-entendido me definisse de alguma forma. (risos)

GQ: Ser famosa não é nada de novo, então o que você vai fazer sobre isso?
Krystal: Eu realmente acho muito sobre o quão importante são aqueles que realmente me conhecem, e estão por perto. Quando eu falei com eles sobre esses problemas, eles dizem, “Soojung, eu te conheço muito bem. Então eu não posso olhar para você da maneira como os outros fazem. Eu não sei como ajudá-la. “Então eu tenho que simplesmente ignorar esses mal-entendidos. Eu tenho que pensar bastante sobre eles. Eu penso sobre isso. Incomoda-me, sim, mas eu só posso hipnotizar-me. “Esqueça isso, deixá-lo ir.” Eu quero me tornar insensível.
GQ: Para Krystal de coração frio, o que f(x) é como um time?
Krystal: Temos uma cor única. Eu tenho muito orgulho nisso. Eu gosto de acreditar nisso que sempre que fazemos algo novo. E isso é porque cada um de nós é diferente. A sinergia que vem quando tudo, desde nossos olhares diferentes até à personalidade dos nossos países de origem, nossas vozes se unindo é tudo isso que forma o f(x).

GQ: Você não pode deixar de sentir orgulhosa sobre isso. Mas não é solitário? O f(x) é sempre diferente, mas sempre …
Krystal: Sozinho.

GQ: O f(x) sempre demonstrou uma nova marca, o lado legal, e é preciso que haja outras equipes que tentem mostrar esse lado, um lado mais sóbrio precisa surgir. Mas não há muito movimento indo para esse lado.
Krystal: Você está certo. Isso faz ser solitário. O f(x) é do gênero “f (x)”. É único e refrescante, mas sem excessivamente tentar ser. Mas isso não se trata de tentarmos nos estabelecer por conta própria. Nós não precisamos nos preocupar com os outros.

GQ: Há várias pessoas se lamentando por não terem ido para o concerto do f(x) este ano.
Krystal: Ah, você não foi. Isso é muito ruim, foi muito divertido. (Risos) As duas horas passaram tão rápido. Eu honestamente não sabia que um concerto poderia ser tão divertido. Eu tenho promovido por tantos anos, mas na verdade não é tão longo porque nós promovemos talvez uma vez por ano. Temos que esperar um dia inteiro para ir em programas de transmissão para performar durante 3 minutos, e não é como se todo esse tempo fosse divertido e prazeroso. Mas o concerto, tudo isso, a conexão com os fãs …

GQ: Eu posso dizer pelo seu rosto. Como se sente.
Krystal: Eu tornei-me tão alto astral, e sentia formigamentos. Não é brincadeira. Eu amo tanto isso. Para ser honesta, eu particularmente não sonhava com um concerto. Pensava que concertos só eram feitos por pessoas que tinham um grande número de fãs, então eu nem sequer pensava nisso. Eu poderia fazer aquilo? Mas, quando eu estava me preparando para isso, eu percebi. É por isso que as pessoas fazem concertos! Cantar e dançar é tão excitante, e eu realmente senti que eu deixei uma parte de mim ir mudando. Se eu olhasse para o passado, eu escolheria nosso palco de estreia, a primeira performance de “4 Walls”, e o concerto como os meus três melhores momentos. E dentre todas as faixas-título que já foram lançadas até agora, eu gosto “4 Walls” ela é a melhor.

GQ: Uma vez eu li algo sobre o que você tinha dito sobre o passado e o futuro. O que você fez no “passado” significa para você?
Krystal: Hmm .. Eu não existo no “passado”. Tipo, eu nasci em 1994, então eu não sei muito sobre os anos 90. Eu era tão jovem. Estou muito curioso para saber como seria se eu tivesse vivido durante esse tempo com a minha idade agora. Estou curioso sobre eras, antes mesmo disso também. Quando eu olho para o material que existia antes de eu nascer, eu acho que eles são muito mais bonito do que as coisas hoje. Então eu continuo explorando-os. Eu quero ver essas eras, ouvir as eras. O futuro que virá a acontecer. Eu estou indo para eventualmente experimentá-los, por isso não estou curiosa. (Risos) Mas o passado já é passado. Eu não posso voltar no tempo, por isso estou tão curioso. Voltar a um tempo em que minhas coisas favoritas ainda existia.

GQ: Nós temos que falar sobre uma última coisa sobre a sua imagem agora. Que é a sua imagem como “artista”. Essa palavra pode significar coisas diferentes, dependendo de como você a usa, mas também é uma palavra muito simples.
Krystal: É uma palavra muito importante para mim. Quer se trate de música ou dança, ou a sua expressão de algo, ou a maneira como você tira fotografias ou a maneira como as imagens são tomadas de você. Quando estávamos tirando fotos para esta seção, eles me disseram que ficaria bom se eu tivesse algum tipo de expressão nos meus olhos. E eu, em seguida, tornei-me a pessoa que tinha que traduzir isso através das fotos. Eu acho que isso é o que todos os artistas têm de fazer. Eu penso em mim como uma artista. Sou uma artista ainda em processo de me tornar uma artista. Eu não acho que é um título que qualquer um pode ter, por isso penso muito sobre isso. Eu me preocupo muito sobre isso. Há tantas falsificações.

GQ: Há falsificações que não sabem que são falsificações.
Krystal: Sim. A fim de não me tornar falsa, eu tenho que continuar fazendo coisas.

GQ: Não é saber o que mais você pode fazer …
Krystal: Exatamente, é mais importante saber o que mais você não deve fazer.

GQ: Se você é um artista tem seu próprio direito, o que os outros dizem…
Krystal: Não importa.

GQ: Você não está com medo, né?
Krystal: Eu tenho que fazer bem. (risos)

GQ: Você disse anteriormente que você estava um pouco assustada com a entrevista. Você tem um olhar pioneiro agora.
Krystal: Eu não sei se é porque eu tenho um monte de fotos onde todos estão sorrindo com exceção de mim, mas eu penso em apenas tornar-me uma pioneira para uma nova marca de imagem. Uma que não envolva uma mistura de lugar com apenas algo em pé de forma independente. Eu tenho que pensar mais sobre isso. Tenho 23 anos agora. Há muitas coisas que quero pensar. Tem muito coisa que eu quero mostrar.

GQ: É uma vez que você vê o passado de uma forma mais bonita, e é um momento é selvagem e complicado. Soojung, por favor, não se canse disso.
Krystal: Sim! Eu não vou. (risos)

Tradução: Julia @ f(x) Step
Créditos: DailyKrystal
Não retire do f(x) Step sem os devidos créditos

 

 

 

Comments on Facebook